Invisibilidade contraditória dos haitianos em Cuiabá

Por Desirêe Galvão

Após o terremoto que assolou a capital haitiana, Porto Príncipe, em 2010 uma onda de imigrantes daquele país começou a chegar ao Brasil. Aos trancos e barrancos aqueles caribenhos chegavam ao gigante sul-americano pela por tríplice fronteira africana e, literalmente, com uma mão na frente e outra atrás, eles se espalhavam pelo país a procura de emprego e asilo. O sonho era chegar a Sao Paulo ou Rio de Janeiro, cidades que conheciam através da TV, mas muitos acabaram ficando em diversas cidades pelo meio do caminho.

Centro Geodésico da America do Sul, Cuiabá havia experimentado pouquíssimas vezes fenômenos migratórios. Logo que começaram a chegar, mesmo em silêncio, foram notados imediatamente pela população, pois as características estavam não só no tom do negro, mas também nas roubas, nos acessórios. E sendo assim, ganharam as manchetes regionais.

As pautas, salvas raríssimas excessões de veículos menores de comunicação, orbitam as dificuldades que os haitianos tem para encontrar emprego, aprender o idioma, a quantidade de imigrantes em situações difíceis. A avalanche da chegada deles teve o auge em 2014, se manteve em 2015, e começou a se inverter em 2016 com a crise econômica, quando os imigrantes começaram a ir embora para outros países, principalmente o Chile.

Ora, será que em cinco anos de estadia em Mato Grosso os haitianos já não se adaptaram, fizeram família e começaram a ser motivos de pautas mais positivas? Esta é exatamente a crítica que a comunidade de imigrantes em Cuiabá faz. E sem espaço nas grandes mídias, isolados, eles começaram a produzir conteúdos para quem se interessasse em ver através das mídias sociais. Um dos percursores deste movimento foi o grupo Star Magic 509, um grupo de rap que canta até em português.

Aos poucos, a comunidade de 800 imigrantes que estão conectados através do facebook começa a motivar pautas na mídia regional. Para além do rap e da igreja haitiana da periferia, agora os haitianos mostram que ficando em Cuiabá, tem muito mais a oferecer do que somente dificuldades sociais.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s