Um mundo paralelo

ilustracao-mito-da-caverna

Por Lucas Peixoto

Há bastante tempo a publicidade tem ganhado destaque ao se utilizar de vídeos, fotos e outros tipos de mídias para veicular seus produtos. Assim, o consumidor é transportado para uma outra realidade na qual ele é peça de uma engrenagem responsável por vender sonhos. Nos acostumamos a ver o imponente cowboy  fumando um cigarro em meio a uma paisagem bucólica, ou a um homem comum que ao entrar no carro se transforma em um galã de cinema. Este é o imaginário criado pelo mundo da publicidade.

Nos últimos anos essa realidade mudou, visto que uma grande quantidade de empresas aderiu ao compromisso com questões sociais e ecológicas. O mundo da publicidade passou por uma radical mudança de filosofia e de ideais. As marcas de cigarros, outrora símbolos de status popularizados pelo cinema americano, passaram a expor em suas embalagens fotos horrendas de deformações físicas, órgãos humanos em estado falimentar, além de um grave problema que assombra todos os homens: a impotência sexual.

O  polêmico fotógrafo italiano Oliviero Toscani, em sua obra A publicidade é um cadáver que nos sorri, nos apresenta um “processo de Nuremberg da publicidade” que conta com as seguintes acusações: crimes de malversação de somas colossais, pilhagem, inutilidade social, mentira, contra a inteligência, persuasão oculta, adoração às bobagens, exclusão e de racismo, contra a paz civil, contra a linguagem e contra a criatividade. Toscani inovou ao fotografar pessoas que jamais haviam sido contempladas pela publicidade, além de ter mexido com as mais fervorosas crenças da sociedade e discutido a ética publicitária.

É possível discordar de pontos trazidos pelo italiano, mas é impossível deixar de considerar um fato inconteste em sua argumentação: o caráter vazio das peças publicitárias das maiores empresas do mundo nos força à reflexão do papel que essas organizações deveriam ter nos dias de hoje e o compromisso com a realidade.

 

  1. Allan Fernandes

    A arte da comunicação destituída de ética é perigosíssima, pois a maior parcela dos receptores da mensagem não afinam o senso crítico com regularidade, absorvendo assim opiniões enviesadas como se fossem imparciais. Ótima colocação!

  2. Everton Uchiha

    A publicidade vem distorcendo a realidade ao vender produtos que nem sempre corresponde a uma certa finalidade. Através disso vemos que o consumidor se torna vitima. (Everton Martins)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s