Um pouco mais sobre o poder das novas mídias

“Por que a nova mídia é revolucionária?” pergunta o texto de Caio Túlio Costa. Já tratei do tema em outro post, mas essa semana as redes sociais me trouxeram mais uma confirmação da resposta que já havia dado.

Um ex-colega de trabalho, Murillo Magalhães, postou um vídeo no Youtube e no Facebook denunciando o caso de tortura que sofreu. Ele participava de um ato pela greve dos metroviários em frente à Secretaria de Segurança Pública, quando a Polícia Militar o levou para dentro do prédio para torturá-lo.

Murillo utilizou as novas mídias para, com muita coragem, expor toda a humilhação por que passou, na tentativa de que aprendamos com nossos erros e paremos de errar. Não que apenas esse vídeo seja suficiente para reformarmos a PM. Mas, infelizmente ou não, esse não é o único material dessa natureza que as redes sociais ajudam a divulgar.  É na somatória dessa série de pequenas vozes – antes, sem nenhuma chance de vazão –  que consiste o poder revolucionário das novas mídias. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s